Adam  Sedgwick  (1785 - 1873) - Geólogo inglês que definiu o Cambriano.


 

Alexander von Huboldt (1769-1859) - Geógrafo e naturalista alemão que definiu o Sistema Jurássico

 
 

Alfred Wegener (1880 - 1930) - Astrônomo, geofísico e meteorologista prussiano, que postulou a teoria da Deriva Continental em 1912


 
 

Apex Chert - Mais antiga fauna estabelecida (3.465 milhões de anos), descrita no oeste da Australia (Schopf, 1993). Composta de organismos semelhantes às Cyanobacteria modernas.


 

Archaeopteryx - Fósseis de aves mais antigos que se tem notícia. Tres exemplares muito bem preservados foram encontrados no calcário Solenhofen, do Jurássico superior na Alemanha.


 

Braquiópodes - animais marinhos fixos, com esqueleto constituido de duas conchas. Habitam mares frios ou temperados. Vivem desde o Cambriano inferior até hoje.


 

Cefalópodes - Os cefalópodes são os moluscos mais bem organizados. Podem ter carapaça (amonitas) ou não (polvos) e são animais marinhos. As sub-classe Ammonoidea e Belemnoidea são muito importantes no registro fóssil. Vivem do Cambriano superior até os dias de hoje.


 

Charles Lapworth (1842 - 1920) - Geólogo inglês que definiu o Sistema Ordoviciano, em 1879.


 

Charles Lyell (1797-1875) - Geólogo escocês, subdividiu as épocas do Período Terciário em 1883.


 

Cicadáceas - gimnospermas de caule robusto e colunar que chegavam a 3-4 m de altura. Constituem um registro fóssil importante do Mesozóico. Vivem do Triássico até os dias de hoje.


 

Coníferas - gimnospermas típicas de climas frios, com copa em forma de cone, como os pinheiros e as araucárias. Eram árvores que chegavam a 30m de altura, e que vivem do Paleozóio superior até hoje.


 

Conodontes - pequenas estruturas fosfáticas semelhantes à dentes, de afinidade duvidosa, encontradas em ambiente marinho. Ocorrem do Ordoviciano ao Triássico e são muito úteis estratigraficamente.


 

Corais - nome vulgar da classe Anthozoa, filo Coelenterata. São indivíduos ou colônias fixas, marinhas. Vivem do Ordoviciano médio até os dias de hoje.


 

Crinóides - animais gregários, de ditribuição global, constituidos de um corpo maciço e cinco longos braços,revestidos de um exoesqueleto calcário. Ocorrem desde o Cambriano médio até os dias de hoje.


 

Equinodermas - animais marinhos, com corpo revestido de placas calcárias, formando um exoesqueleto de espinhos, fazem parte desse grupo os ouriços e as estrelas do mar. Vivem do Ordoviciano médio até os dias de hoje.


 

Estromatólitos - estruturas biogênicas formadas por algas calcáreas. Não são fósseis propriamente ditos, mas são indícios de vida. Ocorrem desde o Arqueano até o presente.


 

Foraminíferos - microorganismos aquáticos unicelulares, com carapaça calcárea. Vivem do Ordoviciano até hoje.


 

Gingkos - Gimnospermas de até 30m de altura. Árvores decíduas com muitos galhos. Vivem desde o Paleozóico superior até os dias de hoje.


 

Graptólitos - animais coloniais marinhos extintos. Viveram do Ordoviciano inferior ao Devoniano inferior.


 
 

Roderick Murchison (1792-1871) - Geólogo escocês que definiu o Siluriano, o Devoniano e o Permiano.


 

Trilobitas - classe extinta de artrópodes marinhos de água rasa, mediam entre 5 e 8cm, mas alguns chegaram a 70cm. Viveram do Cambriano inferior ao Permiano superior, sendo ótimos fósseis-guia do Paleozóico.
 


Bibliografia:

BLACK, R.M. The elements of Palaeontology. Cambridge : Cambridge University , 1970. 340p.

MCCLENDON, J.H. The origin of life. Earth Sciences Review. Oxford. v. 47, p. 71-93.  1999.

SCHOPF, J.W. Microfossils of the early Archaean Apex chert; new evidence of the antiquity of life. Science, Washington, DC, v. 260, p. 640-646. 1993.

TUREK, V.; MAREK, J. , BENES, J. Fossils of the World. New York : Arch Cape , 1988.  495 p.