Angiosperma - planta com flores. Apareceram no Cretáceo inferior (ou antes). Alguns exemplos são as gramíneas, orquídeas, rosas, e várias árvores frutíferas.

Arcóseo - rocha sedimentar rica em feldspato e quartzo. Apresenta grãos angulosos ou subangulosos, e reflete uma rápida desintegração de rochas graníticas.

Argilito - rocha sedimentar consolidada, de granulometria na fração argila (<0,062mm).

Arenito -  rocha sedimentar consolidada, de granulometria na fração areia (0,062 a 2mm).

Basalto - rocha ígnea extrusiva, de cor escura e granulometria fina, composta principalmente de plagioclásio cálcico e clinopiroxênio.

Bauxita - mistura de óxidos de alumínio formada pelo intemperismo de rochas aluminosas, através da lixiviação da sílica, em clima tropical ou subtropical. É a principal fonte comercial de alumínio.

BIFs - "banded iron formation". São rochas sedimentares compostas de alternâncias de níveis de hematita (Fe2O3) e níveis de quartzo (SiO2).

Bioestratigrafia - classificação das diferentes camadas de rocha com base no seu conteúdo fossilífero.

Calcário - rocha sedimentar constituida predominantemente de carbonato de calcio.

Ciclo de Wilson - ciclos de espalhamento de fundo oceânico/ convergência de placas litosféricas que duram geralmente 100.000.000 de anos. Denominado a partir de Tuzo Wilson, geofísico canadense.

Conglomerado - rocha sedimentar consolidada, composta de fragmentos (>2mm) angulares ou arredondados de um ou mais tipos de rocha, suportados em uma matriz de granulometria mais fina.

Corrente de convecção - padrão de movimento do material mantélico, onde o material ascende pelo centro, e descende pelas bordas, em resposta à variações de calor.

Cráton - porção de crosta terrestre que se mantem estável (ou pouco deformada) por longos períodos de tempo = áreas cratônicas.

Crosta terrestre - camada mais externa da Terra, definida com base na variação de ondas sísmicas, densidade e composição. É limitada pela descontinuidade de Mohorovicic, e dividida em sial (crosta continental) e sima (crosta oceânica). A crosta continental é constituida predominantemente de silício e alumínio, tem espessura média de 40km, mas pode variar entre 25 e 70km. A densidade média é 2,7 g/cm3 e a velocidade de ondas sísmicas é em média 6,5 km/s. A crosta oceânica, composta de silício e magnésio, se sotopões à crosta continental. Tem espessura média de 5-10km, densidade média em torno de 2,9 g/cm3 e velocidade de ondas sísmicas variando entre 4-7,5km/s.

Datação Radiométrica (geocronologia) - cálculo da idade das rochas e/ou minerais com base no decaimento natural dos elementos radioativos. Os métodos mais comuns são K/Ar, Rb/Sr, Sm/Nd, U/Pb e Pb/Pb. Geocronologia é a ciência que estuda as dataçôes das rochas da Terra

Deriva Continental - movimento das massas continentes sobre o substrato litosférico. O padrão de movimento varia em cada caso, mas de forma geral, eles se afastam uns dos outros em consequência do espalhamento do fundo dos oceanos.

Diatomácea - alga microscópica envolta em carapaça silicosa. Essas carapaças se depositam no fundo dos oceanos, e por vezes são compactadas e litificadas gerando uma rocha chamada diatomito.

Dique máfico - intrusão tabular de rochas ígneas escuras, com minerais de composição ferromagnesiana.

Epirogenese - processo lento e de grande amplitude que consiste na movimentação vertical das massas continentais, que sobem ou descem em relação ao nível do mar

Espalhamento do fundo oceânico - teoria que sugere que a crosta oceânica está aumentando em área, graças ao contínuo influxo de magma das cordilheiras meso-oceânicas, empurrando os continentes em taxas que variam de 1 a 10cm/ano. Esse mecanismo seria a força motriz da Teoria da Tectônica de Placas.

Evaporito - rocha sedimentar composta da deposição dos minerais constituintes de uma solução salina após a evaporação do solvente.

Eventos tectonotermais - eventos que relacionam atividade tectônica e magmatismo/ metamorfismo em áreas orogênicas.

Evento Brasiliano - Panafricano - grande ciclo de colagens continentais responsável pela amalgamação do supercontinente Gondwana, Esse evento durou de ~800 à 480 milhões de anos.

Eucarionte - ser vivo provido de núcleo individualizado.

Faixas móveis - faixas estreitas de rochas sedimentares que são comprimidas entre os blocos continentais durante as colisões.

Falésia - exposiçãorochosa alta e íngreme à beira-mar, resultado da erosão marinha.

Filo - grande divisão taxionômica baseada no plano geral de organização dos organismos. É subdividido em classes.

Fluvio-lacustrino - sistema de deposição que envolve facies relacionadas à rios e lagos.

Folhelho - rocha sedimentar laminada, com mais de 67% de minerais na fração argila.

Gimnosperma - grupo de vegetais que se distingue por apresentar semente e óvulos à descoberto. Típicas de clima temperado. Vivem do Paleozóico superior aos dias de hoje.

Gipso - mineral de fórmula CaSO4.2H2O (sulfato hidratado de cálcio). Ocorre em evaporitos ou como camadas em bacias sedimentares. Presente também em meteoritos. Usado principalmente para a fabricação de cimento e gesso, e também na fabricação de giz, vidros e esmaltes.

Glaciação - períodos determinados do tempo geológico em que as calotas polares eram mais extensas que as atuais.

Gnaisse -  rocha foliada formada por metamorfismo regional, alternando bandas de diferentes composições. gnaisse quartzofeldspático - tipo mais frequente de gnaisse, com os minerais quartzo e feldspato predominando na composição.

Granito - rocha de orígem ígnea plutônica composta basicamente dos minerais quartzo, feldspato e mica.

Greenstone-belts - cinturões alongados de rochas vulcano-sedimentares, frequentes nos terrenos precambrianos, muitas vezes com ocorrências de minerais de interesse econômico.

Grauvaca - nome antigo, mas ainda muito usado para definir arenitos grosseiros, geralmente acinzentados, onde os minerais, predominantemente quartzo e feldspato, tem formas irregulares, envolvidos por um cimento fino. Refletem áreas onde a erosão, transporte, deposição e compactação ocorreram de maneira muito rápida, geralmente estando próximos da área fonte dos sedimentos.

Hominídeo - o hominídeo difere dos outros primatas principalmente no tamanho e forma da caixa craniana, mas há várias outras diferenças, como os dentes, os ossos dos pés, a coluna, etc.

Idades absolutas - idades obtidas por datações radiométricas. É oposição ao termo datações relativas, quando a idade é obtida por correlações.

Komatiito - suíte de rochas ultramáficas, ricas em Mg, Ni e Cr. O nome vem de Komati River, na África do Sul.

Litosfera - parte mais externa e sólida da Terra, constituida da crosta e da parte superior do manto.

Magmatismo - desenvolvimento e movimentação do magma na crosta, e sua solidificação como rocha ígnea.- bimodal - quando alterna lado a lado rochas ígneas de composição diferente.

Metamorfismo - conjunto de transformações sofrido pelas rochas sob a ação de variações de temperatura, pressão, e pressão de fluidos. Essa transformações ocorrem geralmente em profundidade, mas com as rochas estado sólido. Esses processos geram rochas com minerais, textura e estrutura diferentes das rochas antecessoras.

Manto - camada da Terra entre a crosta e o núcleo, com densidade variando entre 3.3 e 5.7. É constituido de rocha fundida, composta principalmente de olivina e sulfetos.

Mares plataformais - mares que cobrem as plataformas continentais.

Marga - algilito de composição calcária, formado em ambiente subaquoso.

Núcleo - zona mais central do interior da Terra, abaixo da discontinuidade de Gutemberg (2.900km). Composto de níquel e ferro, tem temperatura estimada em mais de 2.700°C e pressão de 3,5 x 106 bars., Apresenta uma camada mais interna sólida (núcleo interno) e uma mais externa (núcleo externo). O campo magnético da Terra se origina da rotação entre essas duas camadas.

Paleogeográfico - estudo e descrição da geografia física no passado geológico, como forma de reconstruir antigos padrões da superfície da Terra

Petrologia - ramo da geologia que estuda a orígem, ocorrência, estrutura e história das rochas.

Orogenia - nome dado aos processos através dos quais as montanhas são geradas, incluindo
deformação das rochas nos níveis mais rasos e metamorfismo e geração de rochas ígneas nos níveis mais profundos.- ciclos orogenéticos - ciclos de formação de montanhas que podem durar de dezenas a centenas de milhões de anos.

Orogenia Acadiana - orogenia tesultante da colisão entre a América do Norte e um arco de ilhas. Durou de 410-380 milhões de anos.

Orogenia Alegueniana - orogenia tesultante da colisão entre a América do Norte e a África. Durou de 320-220 milhões de anos.

Orogenia Alpina - orogenia tesultante da colisão entre a Europa e a África. Durou de 40-5 milhões de anos.

Orogenia Apalachiana - orogenia tesultante da colisão entre a América do Norte, américa do Sul e Antártica. Durou de 480-460 milhões de anos.

Orogenia Caledoniana - orogenia tesultante da colisão entre a América do Norte e a Europa. Durou de 450-430 milhões de anos.

Orogenia Herciniana - orogenia tesultante da colisão entre a Europa e um arco de ilhas. Durou de 350-245 milhões de anos.

Orogenia Himalaiana - orogenia tesultante da colisão entre a Índia e a China. Se iniciou a 24 milhões de anos, e dura até hoje.

Orogenia Laramide - orogenia tesultante da colisão entre a América do Norte e um arco de ilhas. Durou de 84 -50 milhões de anos.

Orogenia Mirano - orogenia tesultante da colisão entre o nordeste da América do Sul e um arco de ilhas. Durou de 100 -90 milhões de anos.

Orogenia Ribeira - orogenia tesultante da colisão entre a Microplaca Serra do Mar, e o Cráton do São Francisco. Durou de 640 -520 milhões de anos.

Orogenia Taconiana - orogenia tesultante da colisão entre a América do Norte e a Europa. Durou de 460-440 milhões de anos.

Orogenia Uraliana - orogenia tesultante da colisão entre a América do Norte, a Sibéria e o asaquistão. Durou de 410-380 milhões de anos.

Placa litosférica - segmentos rígidos da litosfera, se que deslizam horizontalmente por sobre o manto. Ver também Tectônica de Placas.

Plataforma Continental - extensas superfícies planas que constituem as bordas dos continentes. Essas zonas se extendem desde a linha de costa até a profundidade de cerca de 200m, mar a dentro. O seu limite oceânico é demarcado pelo talude continental. É o local onde se depositam boa parte dos sedimentos marinhos.

Planície de maré - área da costa que é alternadamente coberta e descoberta pelas marés diárias.

Precambriana - denominação utilizada para todo o tempo geológico antes do Período Cambriano. Engloba os éons Arqueano e Proterozóico.

Procarionte - organismo formado por uma única célula, desprovida de membrana nuclear, como as bactérias e as algas cianofícias.

Regressão marinha - retração ou contração dos mares em relação às terras, gerando um consequente rebaixamento do nível do mar. Pode ser causado por fatores diversos, como por exemplo soerguimento de algumas regiões ou por glaciações. É o contrário de transgressão marinha.

Rifts-  longas e estreitas zonas continentais onde se tem um bloco abatido, bordejado por falhas. Marca regiões onde a litosfera sofreu ruptura causada por fenômenos de extensão.

Rocha alcalina - rocha ígnea caracterizada por apresentar uma alta porcentagem de álcalis em relação à sílica e à alumina.

Rocha clástica - rocha sedimentar formada por fragmentos de rochas preexistentes, gerados por intemperismo e erosão .

Rocha ígnea - um dos três principais grupos de rochas. É o único grupo considerado como fonte primária de material, uma vez que os outros dois grupos (rochas metamórficas e sedimentares) provêm de rochas preexistentes. É constituida de material que se solidifica diretamente do magma. - plutônicas ou intrusivas: quando o magma se solidifica no
interior da Terra, - vulcânicas ou extrusivas: quando o magma extravasa e as rochas se solidificam na, ou bem próximo da superfície da Terra.

Rocha metamórfica - rochas formadas a partir de outras rochas que passam por processos
de metamorfismo, alterando a sua composição mineralógica, química ou estrutural.

Rocha sedimentar - rocha formada à partir de material gerado pelo intemperismo de rochas preexistentes (sedimentação mecânica ou clástica), incluindo também o material gerado pela precipitação de sais em suspensão (sedimentação química) e o material de orígem orgânica (conchas, carapaças). Podem ser consolidadas (como os arenitos) ou inconsolidadas
(como as areias).

Rocha vulcânica - fragmentos de rochas ou material de orígem orgânica (carapaças de microorganismos) que se depositam e acumulam em grandes depressões da crosta terrestre.

Siliciclastica - grupo de rochas sedimentares clásticas composto essencialmente de minerais do grupo dos silicatos.

Tectonismo, atividade tectônica - conjunto de esforços internos que afeta a litosfera, e que se
reflete no padrão estrutural e/ou deformacional das rochas. É sinônimo de diastrofismo.

Transgressão marinha - avanço dos mares por sobre as terras emersas, gerando uma consequente elevação do nível do mar. Pode ser causado por fatores diversos, como por exemplo o abatimento de algumas regiões ou pelo derretimento de grandes extensões da calota polar. É o contrário de regressão marinha.

Uraninita - mineral de composição UO2 (óxido de urânio), que ocorre em rochas sedimentares. É o principal mineral- minério de urânio

Xisto betuminoso - nome um tanto inadequado, que se refere à rochas foliadas impregnadas de betume (mistura de hidrocarbonetos). Na verdade essas rochas não são xistos (tipo de rocha produzido por metamorfismo).

Zircão - mineral de composição ZrSiO4 (silicato de zircônio). Mineral acessório de rochas ígneas, metamórficas e sedimentares (nesse caso chamado detrítico), muito usado para estudos geocronológicos e também na indústria de refratários e como gema.

Zona de subducção - zonas longas e estreitas no contato entre placas litosféricas, onde uma delas mergulha por baixo da outra, em resposta à fenômenos de compressão.


Bibliografia:

CORRELATED History of Earth. 2. ed. Hill City :  Pan Terra Inc., 1998.

FERREIRA, A.B.H. Novo Dicionário Aurélio da Língua Portuguesa. 2a ed. Rio de Janeiro :  Nova Fronteira, 1986. 1838 p.

JACKSON, J.A. Glossary of Geology. 4. ed. Virginia : American Geological Institute, 1997. 769 p.